Um mercado além das estrelas

No dia 14 de dezembro do ano passado estreou nas telas dos cinemas brasileiros o filme Os últimos Jedi. A produção, que é o oitavo filme a contar a saga da família Skywalker e de seus aliados em busca da paz universal, agitou os aficionados pela sétima arte e levou milhões de pessoas às salas de projeção.

A narrativa, que apesar do tom futurista se passa “há muito tempo numa galáxia muito distante”, é um dos maiores e mais significativos fenômenos da cultura pop de todos os tempos e o combate entre as forças do bem e do mal, que essencialmente é o tema de toda a história, pode trazer importante lições para as marcas que atuam no mercado de alto padrão.

A primeira relação a ser feita entre a saga interplanetária e o segmento de luxo é, justamente, os produtos premium desenvolvidos em função do universo criado por George Lucas. De automóveis de alto padrão, passando por joias e relógios, até chegar ao mobiliário e à peças de decoração para casas, ícones da mitologia de Star Wars como o robô R2D2 ou o vilão Darth Vader já serviram de inspiração para o desenvolvimento dos mais diversos artigos.

Mas, é claro, essa é apenas a ponta do iceberg no que se refere ao contexto maior em que as aventuras galácticas podem contribuir para a gestão estratégica e operacional das empresas do setor de alto padrão.

Uma característica marcante da série e que pode ser adaptada às organizações que atuam na área é a criação de uma identidade própria. A música, o letreiro luminoso e os personagens clássicos estão presentes em praticamente todos os filmes e fazem com que os espectadores se identifiquem e confiem no padrão de qualidade daquilo que vão assistir. Levando isso como exemplo, empresas e marcas também podem criar uma personalidade no mercado e, através da diferenciação, desenvolver algo novo e que encante os clientes.

E por falar em clientes, um dos principais desejos dos consumidores da atualidade é vivenciar experiências marcantes no momento de adquirir um produto ou serviço. Quem vai assistir aos filmes de Star Wars sabe que será transportado para um universo único, particular, e está disposto a embarcar nas novas sensações. Para as marcas e profissionais do setor de luxo, entender a importância dessas experiências e apresentar novidades frequentes aos clientes podem fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Por fim, e não menos importante, está o conceito de explorar a marca em todos os seus aspectos. O universo Star Wars não se resume unicamente às produções do cinema. Há livros, histórias em quadrinhos e séries de televisão que ajudam a aumentar o interesse pela trama e o público interessado no assunto. Empresas e marcas também podem adotar essa ação, basta ter uma gestão aberta, participativa e encontrar maneiras de ampliar o diálogo com os clientes e com o próprio mercado. As mídias sociais, por exemplo, podem ter um papel central nesse processo.

A luta dos cavaleiros Jedi pela paz universal, ao que tudo indica, ainda está longe de seu fim. Assim como as possibilidades de utilizar as temáticas e estratégias abordadas na saga como referência ou inspiração para crescer no mercado de luxo.

Crédito da imagem: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


A market beyond the stars

On December 14 of last year debuted in the screens of Brazilian cinemas the movie The Last Jedi. The production, which is the eighth film to tell the saga of the Skywalker family and their allies in pursuit of universal peace, shook the aficionados of the seventh art and brought millions to the screening rooms.

The narrative, which despite the futuristic tone of “long ago in a very distant galaxy,” is one of the greatest and most significant phenomena of pop culture of all time and the struggle between the forces of good and evil, which is essentially the theme of the whole story, can bring important lessons for the brands that act in the market of high standard.

The first relationship to be made between the interplanetary saga and the luxury segment is precisely the premium products developed according to the universe created by George Lucas. From high-end automobiles to jewelery and watches to furniture and home furnishings, icons from Star Wars mythology such as R2D2 robot or villain Darth Vader have served as inspiration for the development of the most diverse articles .

But, of course, this is just the tip of the iceberg as it relates to the larger context in which galactic adventures can contribute to the strategic and operational management of high-end industry companies.

A striking feature of the series that can be adapted to the organizations that work in the area is the creation of an identity of its own. Music, lighting, and classic characters are present in virtually every movie and make viewers identify with and trust in the quality of what they are going to watch. Taking this as an example, companies and brands can also create a personality in the market and, through differentiation, develop something new and that enchants the customers.

And speaking of customers, one of the main wishes of today’s consumers is to experience outstanding experiences when purchasing a product or service. Anyone who is going to watch the Star Wars films knows that they will be transported to a unique, particular universe, and is willing to embark on new sensations. For luxury brands and professionals, understanding the importance of these experiences and presenting frequent customer news can make the difference between success and failure.

Last but not least is the concept of exploiting the brand in all its aspects. The Star Wars universe is not just about movie productions. There are books, comic books and television series that help increase interest in the plot and the audience interested in the subject. Companies and brands can also adopt this action, just have an open, participatory management and find ways to broaden the dialogue with customers and the market itself. Social media, for example, can play a central role in this process.

The Jedi Knights’ struggle for universal peace, it seems, is still far from over. As well as the possibilities of using the themes and strategies addressed in the saga as a reference or inspiration to grow in the luxury market.

Leave a Reply

Your email address will not be published.