O valor dos bens de luxo

01

Definir com precisão o valor de um bem de luxo não se restringe a cálculos financeiros. Se os custos de produção, da matéria-prima e dos diversos insumos necessários para a fabricação de uma peça de alto padrão tem importância decisiva nesta composição, valores intangíveis como a tradição e a força de uma marca também tem grande relevância.

Os apreciadores dos artigos de luxo, ao que tudo indica, compreendem com perfeição essa matemática financeira/emocional e estão se habituando cada vez mais com a compra de bens por meio de leilões online. O setor, que já era conhecido dos compradores de joias, se desenvolveu para outros artigos como bolsas, relógios, canetas e carteiras.

Os lances, que no passado podiam ser realizados por telefone para peças anunciadas pela TV aberta ou presencialmente em leilões físicos, hoje são feitos online, em sites especializados. Apenas um desses endereços virtuais, o Superbid, realizou 14 leilões de artigos de luxo em 2016 movimentando 4,8 milhões de reais.

Um dado interessante é que no primeiro semestre de 2017, no segmento de canetas, houve um crescimento de 85% em relação ao mesmo período de 2016. Em estojos e acessórios o avanço quadriplicou. Este modelo de compras por meio de leilão já alcançou compradores de 22 estados brasileiros. A maior parte das ofertas (64,4%) está em São Paulo e, em 2016, 76,3% dos lotes ofertados foram arrematados por consumidores classificados como pessoa física.

Segundo o consultor para leilões de luxo da Superbid, Pedro de Aguiar, o formato está se consolidando no dia a dia do consumidor. “Cada vez mais, as pessoas incorporaram o leilão na rotina do seu comportamento de compras, saindo da esfera da oportunidade pontual”. Ainda de acordo com Aguiar, muitos dos produtos, como joias e relógios, são bens de herança, e a família coloca em leilão para arrecadar fundos. O mesmo acontece com vinhos, bolsas e carteiras.

Entre as peças mais emblemáticas já leiloadas destacam-se os relógios. Um dos modelos negociados, por exemplo, pertenceu a Santos Dumont e foi arrematado por 75 mil reais. Modelos de marcas como Rolex e Patek Philipe, por sua vez, já ultrapassaram a barreira dos 180 mil reais.

Crédito da imagem: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.