O segmento de saúde sob um novo olhar

1

Unindo praticidade, moda, área da saúde, talento e luxo, minha entrevistada é Karina Kulig, estilista curitibana que lançou uma marca de jalecos direcionada aos profissionais da saúde que se preocupam com sua imagem como um investimento não só pessoal, mas profissional. O tema nos traz inovação, tradição, a importância da imagem, e claro, muito marketing pessoal.

Em um país onde a aparência é vista como um capital pessoal, segundo a escritora, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Mirian Goldenberg, cada vez mais investir para sermos vistos tem sido uma prioridade nas profissões. Na área médica de 1ª classe, cujo mercado promissor estará sempre fortalecido pelos poucos ricos e pelos quase ricos, segundo o médico professor Jurandir Marcondes Ribas Filho sobre a realidade do mercado médico brasileiro, não é diferente.

Os médicos de 1ª classe, não somente por ganharem mais e estarem melhor posicionamos, investem também em suas imagens pessoais e profissionais, porque sabem deste valor e da conexão que ela gera com seus pacientes, que ao vê-los bem cuidados, aparentemente, remetem seus tratamentos ao sucesso, afinal, o ser humano é visual e antes de sabermos se efetivamente nossos sintomas serão curados com aquele ou esse médico, analisamos como ele se porta e se veste para nos atender. Estou errado?

Glória Kalil, jornalista, empresária e consultora de moda brasileira, fala sobre a aparência dos médicos e especialmente de seus jalecos como “além de dar uma sensação de limpeza, jalecos (assim como qualquer outro uniforme) têm o seu simbolismo: remetem à ideia de competência, higiene e confiança. Sem contar que são mais práticos e fáceis de usar! Com eles, os profissionais da área estão perfeitamente paramentados no trabalho.”

Karina Kulig, minha entrevistada, faz com que não mais nos surpreendamos ao ver nossos médicos muito bem vestidos com suas marcas favoritas embaixo de jalecos também muito bem desenhados. Para Karina, ver se o médico se preocupa em usar uma camisa bonita, bem passada, bem cortada, uma calça alinhada ou uma médica que se preocupa e gosta de usar marcas como Burberry, Prada, Animale, que são roupas que tem estilo próprios, então são pessoas atentas aos detalhes.

Reconhecida no mercado de Curitiba há 10 anos trabalhando com noivas, seu nome hoje é uma das referências em moda Curitibana ao que se refere à contemporaneidade. Empresária nata, de uma família de estilistas, tendo já lançado outras marcas além do seu próprio ateliê de noivas, seu mais novo investimento é a marca Klinik, focada em desenvolver jalecos para a área da saúde, que nos é apresentada em uma entrevista exclusiva para a Terapia do Luxo.

Adriano Tadeu Barbosa: Do mercado de noivas para o da saúde, para quem são suas criações com a Klinik?

Karina Kulig: Continuo com as noivas, mas minha nova paixão é atender médicos em geral, toda a área de saúde como dentistas, laboratórios, profissionais que trabalham em consultórios. Não foco em um jaleco para se atender em hospital, a proposta da Kilink é para um jaleco de atendimento em consultório.

Adriano Tadeu Barbosa: Você é uma estilista contemporânea, essa sua visão com a modernidade, com o dia atual, é o que fez você olhar para as médicas? Por quê? Como nasceu a Klinik?

Karina Kulig: A Klinik nasceu de uma observação minha em relação ao atendimento das médicas para comigo. Fui fazer uma bateria de exames e eu comecei a analisar que elas estavam vestidas com roupas com bastante influência de moda, e de repente, tinha um tecido em cima delas e que cobria tudo aquilo. E então eu pensei o que fazer para elas que pudesse juntar, unir as duas coisas. Desenvolvi um jaleco, e a minha preocupação na noiva, minha contemporaneidade, usei para construir a estrutura deste jaleco, que tem que passar a informação que está por baixo dele. Além desta estrutura mais elegante, trouxe também um pouco da moda, sem deixar de lado as necessidades do jaleco, tanto na forma estética de desenho, como de tecido, na matéria-prima, o caimento do jaleco em si, as necessidades do dia a dia como dobrar as mangas para um procedimento ou mesmo para uma temperatura mais alta. Assim, o jaleco em cima de um casaco, de um trench coat, de um vestido, de um chemise, não atrapalha o visual e soma à imagem do profissional.

Adriano Tadeu Barbosa: Você sentiu que as médicas têm mudado o seu comportamento? Podemos falar que elas estão mais modernas?

Karina Kulig: Também trabalhando nesta análise, eu vejo que as médicas estão se modernizando. Existe esta nova geração que vem dos seus 30 a 40 anos, que querem modernidade. Mas também as mais velhas, por já estarem no mercado acompanhando aquilo a tanto tempo, encontro uma busca de se vestir de uma forma mais moderna, tanto que hoje, só as médicas mais velhas que usam branco embaixo do jaleco, as médicas mais jovens usam a roupa normal, usam o jaleco sobre as suas roupas do dia a dia.

Adriano Tadeu Barbosa: Você como estilista sabe da importância da imagem. Que recado você dá para as pessoas desta importância. Por que é tão importante a gente se preocupar com a aparência?

Karina Kulig: É aquele velho ditado: “a primeira impressão é a que fica”. Eu acredito muito nisso. Você é o teu cartão de visitas. Então, não adianta você dar um cartão de visitas chiquérrimo, sendo que ele não representa aquilo que você é. Acho que sua aparência e sua forma de se apresentar para um cliente, para um paciente, é muito importante. A partir do momento que eu estou sendo consultada por uma médica, e que ela tenha um cuidado a mais com o visual dela, eu vejo que aquilo me passa um capricho, um cuidado, que é o mesmo cuidado que ela vai ter comigo como paciente dela.

Adriano Tadeu Barbosa: Por fim, os jalecos são personalizados?

Karina Kulig: Até mesmo quem faz a compra online dos jalecos em nosso site, redes sociais e Whatsapp, tem atendimento personalizado. Pedimos todas as medidas de busto, cintura e quadril para que possamos ajustar as peças antes do envio, e assim, já registramos em nossos sistemas para compras futuras. Aos que moram em Curitiba, enviamos um atendente pessoalmente, com todos os modelos para escolha do cliente. Logo chegaremos também ao Rio de Janeiro e São Paulo com este serviço. Tudo é pensado para que o cliente associe a melhor imagem ao seu trabalho único: de salvar vidas e fazer com que elas vivam melhor, isso é um dos significados de luxo para mim.

Um dos modelos de jaleco da linha Klinik.

Um dos modelos de jaleco da linha Klinik.

Crédito da imagem: Antônio Wolff. 

Leave a Reply

Your email address will not be published.