O segmento de luxo e a responsabilidade socioambiental

1

Embora os primeiros registros datem do início do século XX, foi apenas a partir da década de 1970 que profissionais começaram a se aprofundar no estudo da responsabilidade social. Desde então muita coisa mudou. Na economia moderna, empresas dos mais diversos setores desenvolvem projetos na área como visão de mundo ou como estratégia de marketing.

Mas, como esse conceito se aplica ao mercado de luxo? De forma bastante objetiva, podemos entender que a responsabilidade social é a forma encontrada por pessoas e organizações para contribuir de forma voluntária para a construção de uma sociedade mais justa e para um meio ambiente mais sadio.

Assim, sua relação com o segmento de alto padrão vem se estreitando com o passar do tempo. E muito disso ocorre em razão da necessidade de atender aos padrões mais elevados dos clientes. Os consumidores de artigos de luxo exigem cada vez mais que os produtos realmente sejam diferenciados e demonstrem o compromisso das marcas com a sociedade e o meio ambiente. Estudos realizados sobre as tendências de consumo apontam que empresas e marcas que desenvolvem ações ou projetos ligados aos temas sociais são preferidas no momento da compra.

Uma pesquisa divulgada há algum tempo identificou que a responsabilidade social é vista de maneira extremamente positiva pelos consumidores dos bens de alto padrão.  Realizado nos Estados Unidos com um público composto por consumidores cuja renda anual era igual ou superior a 150 mil dólares, o estudo apontou que 82% dos entrevistados entendem a responsabilidade social como um comportamento ético de uma empresa ou marca para com os seus funcionários, clientes e fornecedores.

Praticamente a metade dos pesquisados afirmou procurar marcas que apresentam altos padrões éticos no momento de suas compras. Na opinião dos entrevistados, quando questionados quais marcas ou empresas eles julgavam desempenhar comportamentos éticos, entre as mais votadas configuraram Apple, BMW, Lexus, Mercedes-Benz e Starbucks.

A conexão entre o mercado de luxo e a responsabilidade social mostra-se cada vez mais forte e o que salienta isso é o desenvolvimento de marcas de alto padrão cujos objetivos são simultaneamente agradar aos clientes e exercer um papel de agente modificador da sociedade.

Em linhas, artigos sofisticados, produzidos com charme e requinte, destinados a um público de bom gosto interessado em um mundo melhor são a essência do luxo socialmente responsável.

Crédito da imagem: Reprodução.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.