O mercado de luxo e as redes sociais

01

Louis Vuitton, Burberry e Porsche são marcas que, além de serem referências mundiais quando o assunto é o mercado de luxo tem mais em comum do que a primeira vista pode-se imaginar. Esses três ícones de elegância e sofisticação já utilizam com sucesso há algum tempo as mídias sociais como ferramenta estratégica para a expansão dos negócios e o estreitamento do relacionamento com seus clientes.

Os dados referentes à utilização das redes sociais em todo o mundo realmente impressionam.  Pesquisas apontam que somente o Facebook possui em todo o mundo mais de dois bilhões de usuários ativos por mês. No Brasil esse panorama também é considerável uma vez que o país é o maior usuário de mídias sociais da América Latina. Conforme um estudo recentemente divulgado, mais de 90 milhões de brasileiros possuem contas nas diferentes redes.

Segundo um texto publicado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) escrito por Elaine Michely Furtado Carozzi a internet e as redes sociais ganham cada vez mais espaço no planejamento estratégico das marcas de alto padrão. Se por um lado é impossível levar ao ambiente virtual todo o conforto e encanto do contato pessoal “por outro lado, a impressão causada por um site pode ser um importante elemento de comunicação da ideia de luxo, bom gosto e exclusividade. Basta ver sites como os da Dior, Louis Vuitton, Montblanc, Cartier, Moët Chandon, Hennessy, Tiffany & Co., Givenchy, Rolls-Royce e Rolex: verdadeiras vitrines, elaboradíssimas, que ajudam a confirmar a imagem de exclusividade das marcas.”

Assim como acontece com a grande maioria dos segmentos de mercado que tem no varejo uma das principais fontes de renda, as grifes premium não podem mais se dar ao luxo de ficar fora do universo online sob o risco de estar ignorando uma grande parcela de seus clientes.

Se, em essência, a rede social é constituída através do relacionamento entre as pessoa, as grandes marcas precisam encontrar maneiras de se relacionar com o consumidor de luxo digital de forma especializada.

Um dos recursos encontrados para tornar ainda mais agradável e prazeroso o passeio virtual do cliente real é ampliar os horizontes de informações disponíveis nos sites das marcas e mesmo nas páginas das redes sociais. No site da Louis Vuitton, por exemplo, além do internauta navegar por uma página elegante e consultar de maneira rápida e fácil as novidades das coleções, também pode ler notícias sobre temas que vão do turismo às artes plásticas.

A interatividade também é uma característica fundamental para atrair os olhares e a atenção do cliente virtual. Ações que, por exemplo, incentivam a customização e a personalização de produtos e serviços ampliam a interação com o público.

Se em um passado distante a propaganda era a alma do negócio, atualmente a capacidade de se comunicar com o público assumiu esse papel. E em uma sociedade permanentemente conectada, contar com a aprovação dos internautas, e com suas curtidas, é cada vez mais importantes.

Crédito da imagem: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.