O luxo do amanhã

01

O turismo espacial é uma atividade que desperta o interesse de um número cada vez maior de pessoas. Entretanto, conhecer os mistérios além da atmosfera terrestre é, com certeza, um luxo de poucos privilegiados.

Quem alimenta o sonho de conferir pessoalmente se a Terra é azul, entretanto, pode ficar um pouco mais otimistas, já que projeções da área indicam que em um prazo de 20 anos, o valor desse tipo de viagem deve ser de aproximadamente sete mil euros. Duas décadas podem parecer muito tempo, mas para a conquista do espaço, sem dúvidas, é um piscar de olhos.

O desenvolvimento do turismo espacial serve como uma excelente oportunidade para o debate sobre o futuro do luxo no mundo. Arriscar palpites em um tempo de profundas mudanças como o que vivemos na atualidade pode ser um exercício especulativo, mas, também, se faz importante para entender as tendências e os rumos pelos quais caminha a indústria de alto padrão.

E uma dessas tendências, sem dúvidas, é a sustentabilidade. Encontrar formas de tornar o luxo mais responsável social e ambientalmente é o desafio das grandes grifes no mundo inteiro. Os clientes se tornaram mais exigentes e informados e levam em consideração as ações das empresas e marcas em favor do bem comum no momento da compra.

Ao mesmo tempo, é impossível negar que o luxo enquanto mecanismo de diferenciação ainda tenha apelo. Podemos até considerar comum a circulação na imprensa de reportagens sobre a utilização ostentatória dos bens de alto padrão. De acordo com o filósofo Gilles Lipovetsky “exibir o seu nível de riqueza e gastar em vão” é um aspecto cultural amplamente presente na sociedade.

A democratização do luxo e a sua realização através das experiências são conceitos que vem se consolidando com o tempo. Definir como será o luxo do amanhã ainda não é possível, mas entender que ele está sendo concebido desde já é fundamental para o futuro do setor.

Crédito da imagem: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.