A moda das ruas vira business no mercado de luxo

destacada

Se há algo que adoro nas fashion weeks – além, claro, da deliciosa “obrigação” de assistir aos desfiles –, é conferir o street style das garotas que circulam nestas capitais da moda, muitas delas nas portas dos locais dos shows, sem acesso às cada vez mais restritas apresentações.

O mix do que vem das passarelas de prêt-à-porter e couture com peças básicas, fast fashion e do day by day, há tempos não passa batido pelo olhar atento dos designers. Veio das ruas o high-low (misturar o caro com o barato) e das passarelas o crash de estampas, logo “adaptados” pelas cadeias de lojas de fast fashion e a parceria foi seguindo.

It girls e digital influencers também aderiram, mas o street style não é uma novidade da nossa geração, como muitos pensam. Suas origens remontam aos anos 1950/60, quando os jovens ousaram quebrar a rígida barreira do preppy.

Eles se vestiam como os pais e, no máximo davam um up no visual com uma jaqueta de sua escola (a origem da bomber jacket, atual hot trend, aquela com punhos e barra de malha e zíper frontal).

Essa ousadia foi estilística, adotando o jeans, e cultural, ouvindo rock, jazz e blues. Para situar: jeans, criado por Levi Strauss (Levi’s) no século 10, para vaqueiros e mineiros, não era aceito em muitos meios, assim como jazz e blues, “música de negro.” Sobre isso, há um filme “de sonho”, High Society, com Frank Sinatra, Louis Armstrong e Grace Kelly, um dos últimos antes de ela virar princesa de Mônaco, e trilha de Cole Porter. Vale à pena!

Voltando para hoje: a crise econômica mundial, claro, afetou o mundo da moda. Por isso, no mundo todo, coleções mais realistas e com menos sonho e fantasia. Em comum, um grande objetivo, atrair os mais jovens. Como? Street style na veia, em peças usáveis, mas chiquérrimas.

Todos, dos novatos aos veteranos, apostaram nisso nas semanas de moda internacionais. Na Chanel, Lagerfeld – fã assumido do street –, fez uma “viagem espacial” moderníssima com astronautas e planetas estampados em vestidos, moletons com capuz e camisetas.

A Gucci trouxe de volta seu icônico logo e o verde e vermelho em uma regata com frase que a fazia parecer customizada. O shorts jeans destroyed também é outra referência à moda das ruas.

Na Prada, vestido com beldades vintage estampadas, como as de camisetas. O street-conceito se completa com chiques acessórios: cinto preto, sandálias de tiras cruzadas e uma maxi boina-boné chocolate com detalhe em couro negro.

A Louis Vuitton também não perdeu tempo. Nicolas Ghesquière apostou em couros rústicos, com aparência desgastada. Caso da jaqueta marrom com tachas e zíperes, coordenada com calça de vinco e azul que lembra o jeans, assim como o tom da bolsa.

Jeans com estrelas aplicadas em texturas e tamanhos variados , corações e símbolos high tech, além de sneakers brancos de cano alto e coração vermelho, gorro e t-shirt com grafismos e o logo da marca fazem a figura da muher street da Dolce & Gabbana.

A Dior também investiu no jeans. Um dos que adorei era uma calça oversized sem lavagem usada com blusa-camisa de de mangas compridas, bem minimalista, material precioso, mas com vanguardista nylon touch.

Isso tudo nas passarelas mais importantes do planeta fashion, aplaudido pelos editores mais influentes da moda e vindo das ruas, onde a vida acontece todo dia.

Na Chanel, astronautas estampam o moletom e a camiseta. A calça é mais curta para evidenciar a bota space-disco

Na Chanel, astronautas estampam o moletom e a camiseta. A calça é mais curta para evidenciar a bota space-disco

Logo Gucci na tee customizada coordenada com minishort com ar handmade. Segunda-pele e meias metálicas dão o up

Logo Gucci na tee customizada coordenada com minishort com ar handmade. Segunda-pele e meias metálicas dão o up

Prada: beldades vintage, estampas típicas de camisetas, sob azul-celeste no vestido. Toque Miuccia nas rebuscadas sandálias

Prada: beldades vintage, estampas típicas de camisetas, sob azul-celeste no vestido. Toque Miuccia nas rebuscadas sandálias

Na Vuitton, couro stoned na jaqueta de barras arredondadas e tons jeans na calça de alfaiataria com boots bem urbanas

Na Vuitton, couro stoned na jaqueta de barras arredondadas e tons jeans na calça de alfaiataria com boots bem urbanas

Gorro, grafismos e o logo, uma das estratégias para atingir os jovens, a D&G traz jeans para lá de customizado e arrasa

Gorro, grafismos e o logo, uma das estratégias para atingir os jovens, a D&G traz jeans para lá de customizado e arrasa

Com a boina à la Che Guevara, ela brilha com jeans sem lavagem oversized e camisa “nylon.” Escarpins refinam o look de Dior

Com a boina à la Che Guevara, ela brilha com jeans sem lavagem oversized e camisa “nylon.” Escarpins refinam o look de Dior

Crédito das imagens: Reprodução.

Leave a Reply

Your email address will not be published.