Moda, beleza e ética

Gucci Spring Summer 2013

O segmento fashion sempre teve uma relação de extrema proximidade com o mundo da beleza. Basta ver qualquer desfile de coleção para perceber que os novos lançamentos da moda dividem a atenção com a graça e o charme das modelos.

Entretanto, nesse universo de sonho e fantasia, a realidade nem sempre é muito elegante e muitas são as histórias de eventuais abusos ou excessos no cotidiano profissional das modelos do mundo inteiro.

Na busca de uma ética cada vez mais consolidada também no mundo das passarelas, o grupo LVMH e a holding francesa Kering, proprietárias de algumas das mais icônicas marcas de luxo do mundo como Saint Laurent, Dior, Gucci, e Louis Vuitton, divulgaram no último dia seis de setembro seu novo código de postura em que assumem o compromisso de não efetuar nenhum tipo de trabalho profissional com modelos de idade menor do que 16 anos ou que aparentem sinais muito evidentes de magreza.

De acordo com François-Henri Pinault, presidente da Kering, as novas regras de conduta tem como objetivo “estimular ao máximo o restante dos representantes da profissão a seguir nosso exemplo”.

Além das questões relacionadas a idade e ao peso, outras particularidades ligadas ao universo das modelos também foram revistas como os assuntos relacionados a exposição de nudez e a alimentação durante os trabalhos.

Esse posicionamento é, sem sombra de dúvidas, um passo extremamente importante e louvável no sentido de ampliar ainda mais os valores éticos no segmento de moda. Afinal de contas, como já afirmava de maneira absolutamente correta a eterna Coco Chanel “o luxo tem que ser confortável ou não é luxo”.

Crédito da imagem: Gucci Spring Summer 2013.

Leave a Reply

Your email address will not be published.