Luxuosa receita

1

Cozinhar e criar receitas luxuosas tornaram-se momentos de lazer e diversão para muitas pessoas. Tudo começa com a escolha minuciosa dos ingredientes e depois é só colocar a mão na massa e para acompanhar, um vinho é sempre uma excelente opção.

Mas, a bebida pode também dar aquele toque especial aos pratos. Os chefs Andrea Hunka, Fred Barroso e Wagner Barbosa, ensinam, alguns truques para garantir o sucesso dessa alquimia perfeita na compilação especial a seguir.

Posso comprar qualquer vinho, já que é para cozinhar mesmo?

Um vinho de boa qualidade é vital para render uma excelente preparação. Assim, aqui cai o mito de valores. Claro, não precisa comprar um vinho muito caro e ultrapremiado nos rankings. Tais bebidas devem ser apreciadas como manda o figurino: em uma bela taça e em um momento especial. E vale a regra “cozinhe com um vinho que você beberia”. Vinhos muito baratos podem ter acidez muito alta, o que vai camuflar os sabores mais sutis de uma receita.

Decidi meu vinho. E agora, como levá-lo para a panela?

Há três modos de se cozinhar com tal bebida. E pode começar mesmo antes de o preparo ir para o fogo. Na fase de pré-preparo, há a marinada: técnica em que se deixa o alimento, normalmente carnes, imerso em meio ácido. Ou seja, nada mais é do que deixar temperando. O que muda é que é preciso seguir uma fórmula que começa com a obrigatoriedade de ter um item ácido – pode ser vinagre, limão ou ele, o vinho. Ainda é preciso ter os componentes aromáticos, como ervas, temperos e especiarias.

O vinho vai para a panela?

Sim. Essa é a segunda opção: ele é um item culinário e vai muito bem na panela em diversos tipos de pratos. Porém com atenção ao tempo de cozimento, já que é preciso deixar evaporar o álcool, o que pede um pouco de tempo e paciência. Caso contrário, ele não vai cumprir a sua função de realçar a comida.

Quanto vinho devo usar em uma receita?

Use com cautela. Ele é um ótimo aliado para trazer sabor e perfume, mas, se não tiver moderação na dose, pode destruir a receita. Tente analisar e fique entre um shot e uma taça. Salvo quando a receita em si pede quantidades maiores, caso do boeuf bourguignon, clássico da cozinha francesa, que tem tal bebida como um dos ingredientes principais e uma receita base que leva 1 garrafa. E, mais uma vez, o reforço: dê o tempo dele, tenha parcimônia e deixe-o agir na receita.

Dá certo usá-lo em qualquer panela?

Nunca cozinhe com vinho em panela de alumínio, de cobre ou de ferro. Tais materiais podem reagir com o ácido do vinho e trazer mais acidez ao preparo. Prefira as de inox. E lembre-se de que, depois de aberto, o vinho dura somente duas semanas. Sempre na geladeira e devidamente tampado com a rolha.

Leave a Reply

Your email address will not be published.