Luxo lúdico

Imagem 03 (17)

No final do mês de agosto, o estilista Ralph Lauren encantou mais uma vez os apaixonados por moda de todas as idades ao apresentar sua mais nova coleção infantil em Nova Iorque. O Central Park Zoo foi, literalmente, transformado na Terra do Nunca e as meninas e meninos que desfilaram na passarela exibiam lindas peças que reinterpretavam o prazer e a felicidade de ser criança, conforme a visão sempre inovadora da marca.

O evento, que celebrou a moda para os baixinhos da tradicional grife americana, segue uma tendência que se consolida no universo da moda e no segmento de luxo: a de que as crianças, embora constituam um nicho de mercado muito importante, necessitam de tratamento diferenciado, que perceba as particularidades da fase inicial da vida e ressalte os valores que são determinantes para a construção da vida em sociedade.

As principais marcas de luxo do mundo, com coleções direcionadas às crianças, investem no propósito de ressaltar os valores que fazem do universo infantil um lugar mágico e lúdico. Muito mais do que desenvolver produtos que tornem as crianças mini adultos, através da repetição do comportamento dos mais velhos ou da adaptação de conceitos e orientações, existe uma preocupação honesta de muitas empresas em incorporar aos lançamentos e às campanhas de marketing elementos que destaquem as particularidades dessa fase única da vida.

O mercado do luxo desperta desejos através de um discurso de encantamento. Por isso, é fundamental que a criatividade no pensamento também seja evidenciada, tanto na publicidade quanto no ambiente familiar. De acordo como um texto de Lais Fontenelle, publicado no site Outras Palavras, a customização de peças, por exemplo, pode ser um interessante exercício de compreensão dos valores no universo infantil. “Uma ideia que poderia virar tendência entre as famílias, além de começar a repensar o lugar que a moda ocupa nas suas vidas e de seus filhos, é ajudar as crianças e jovens a pensar num consumo mais colaborativo onde roupas antigas, em seus armários, possam ganhar novos donos e significados quando doadas, trocadas ou até reinventadas. Trocar, doar e reinventar roupas, através de customização, deveria entrar na moda e nos armários das famílias contemporâneas” destaca a autora no artigo Moda e crianças: entre consumismo e criação.

Ações voltadas à valorização da infância enquanto momento de aprendizado não é uma exclusividade do mundo da moda. Essas atitudes estão presentes de forma edificante em um número cada vez maior de segmentos. Exemplo disso é a iniciativa proposta pela galeria de arte online Turn To Art que, durante todo o mês de outubro, apresenta uma exclusiva seção infantil de obras de arte dedicada aos pequenos colecionadores. Obras inspiradas em filmes como Up – Altas Aventuras e na saga Star Wars estão entre os destaques da coleção. A aquisição de obras de arte, uma verdadeira tradição no mundo do luxo, se manifesta como uma oportunidade ideal para os pequenos vivenciarem um pouco do apaixonante universo das artes.

Pierre Cardin, um dos maiores nomes do luxo contemporâneo, questionou, certa vez, se as pessoas já haviam imaginado como seria monótona a moda sem suas cores e seus perfumes. O pensamento do ícone da moda pode ser aplicado aos pequenos. Afinal de contas, como seria possível imaginar a vida sem a oportunidade de vivenciar os momentos mágicos da meninice? Nesta semana em que se comemorou o Dia das Crianças, quem acredita em um futuro pode, e deve, desejar uma infância repleta de felicidade, diversão e luxo a todas as crianças do mundo.

Leave a Reply

Your email address will not be published.