Luxo étnico

Luxo étnico

Luxo étnico

Uma das características que cada vez mais ganha destaque dentro do conceito do luxo contemporâneo é a valorização dos aspectos ligados à qualidade de vida. Não é a toa que o tempo é considerado, nos dias de hoje, o atributo do luxo mais valorizado. Afinal de contas, o que adianta as roupas mais belas e cheias de estilos, os carros mais possantes e aerodinâmicos ou os hotéis mais requintados e modernos, se as pessoas não tem tempo de desfrutar tudo isso com quem amam.

Caminhando no mesmo sentido, a valorização das tradições, costumes e da história como maneira de destacar a individualidade também ganha continuamente novos adeptos. Vale ressaltar ainda que a adoção de boas práticas como as ações sustentáveis, quer sejam elas econômicas, políticas ou sociais, também contribuem para pensar globalmente, mas agir localmente.

Com essa convergência de fatores, não é de se estranhar que uma forte tendência comportamental apareça nos dias de hoje com grande destaque no universo do luxo e do alto padrão. Trata-se do movimento étnico, que se consolidou na década de 1970 como forma de arte e inspiração para a produção de peças do vestuário dos povos da América, África e do Oriente. Atualmente, com a mistura de objetos de diferentes culturas, o luxo étnico recebe as mais diversas interpretações.

E a arquitetura, o design e a decoração fazem uma releitura desse conceito tradicional de maneira particular que a aproxima ainda mais das tendências urbanas e modernas. De acordo com texto publicado no site Tonetto & Bittencourt Arquitetos, no estilo étnico “a temática vêm da cultura e do artesanato de tribos ou povos de diferentes partes do mundo. A vertente africana é a mais forte dos últimos anos. São muito apreciados os seus tecidos de estampas marcantes e de interessante contraste de cores, estátuas e máscaras. O Oriente também exerce fascínio. China e Japão há muito fornecem inspiração para a decoração ocidental, no entanto hoje Bali e Tailândia tornaram-se mais populares entre nós. Um dos motivos foi o boom de exportação brasileiro de móveis e objetos desses dois países, gerando excelente relação de custo e beneficio. São peças leves, descontraídas, sob medida para ambientes alegres e práticos”.

Uma dúvida que pode surgir com os ambientes étnicos é se ele vai deixar a casa com cara de hippie. Na atual decoração, esse conceito já faz parte do passado. A riqueza dos detalhes e o bom gosto das peças e ornamentos deixam os ambientes aconchegantes e confortáveis.

A inspiração ética também está presente de forma sistemática na moda, com suas idas e vindas. Fazendo bastante sucesso entre os públicos masculino e feminino, as referências às mais diversas culturas misturam-se em harmonia com diferentes aplicações, texturas e tecidos promovendo um intercâmbio sem fim entre culturas e identidades. A moda étnica propõe um novo respiro aos conceitos mais tradicionais, valorizando raízes e dando destaque ao artesanal e primitivo.

A face de um povo, qualquer que seja ele, se tornou luxuosa e universal.

Leave a Reply

Your email address will not be published.