Luxo compartilhado

imagem_release_860263

Apesar de ser novidade entre o público brasileiro, o compartilhamento de residências de alto padrão por temporada é uma tendência consolidada em muitos lugares do mundo.

No Brasil, uma das empresas pioneiras nesse segmento é a Dolce Vacation. A empresa desenvolve a atividade de compartilhamento de residências de luxo, com aluguel por temporada e serviços de hotel 5 estrelas. Isso significa alugar uma propriedade incrível, em destinos de puro glamour, mas contar com serviço de quarto, café da manhã e facilidades como aluguel de carro e equipamentos, traslados, reservas em restaurantes e shows, babás, concierge e outros.

De acordo com Bruno Kennerly Benevides, da Dolce Vacation, o ineditismo da operação vem ao encontro da nova onda de compartilhamento e ao fato de que muitas propriedades luxuosas ficam vazias durante boa parte do ano. “Há quem use de três a quatro vezes por ano, ou seja, a propriedade fica mais de 80% do tempo desocupada, o que gera depreciação”, explica.

A Dolce Vacation veio para resolver as duas pontas: para quem viaja, oferece um serviço inovador, seguro e com muita qualidade, e os proprietários, mantém as residências com alto rigor de qualidade, revisadas o ano todo. “O grande problema do compartilhamento é a falta de padronização, o que pode gerar problemas para ambas as partes, quando o negócio é realizado diretamente entre o consumidor e o proprietário. São muitos itens que precisam ser verificados para garantir segurança e qualidade”, enfatiza Bruno. A startup nasceu exatamente para resolver essa lacuna e garantir que os serviços serão sempre estrelados: “nosso público é exigente e quer o melhor da vida”, enfatiza o empresário.

No Brasil, a operação acaba de ser iniciada e as residências estão passando pelo rigoroso controle de qualidade Dolce Vacation. “Além de um check list completo do que já existe e da situação da propriedade, nós também resolvemos faltas e pendências e homologamos fornecedores locais que possam oferecer os serviços exigidos pelo nosso consumidor”, explica Bruno.

Para se ter uma ideia do potencial deste mercado, somente em 2015, o aluguel de férias rendeu 31 bilhões de dólares para a Flórida, a maior parte para Miami, segunda cidade do país em recepção de turistas, perdendo apenas para Nova York. O sucesso do modelo de negócio tem sido tão significativo, que, além do Brasil, há grande demanda de expansão para: Grécia, Austrália e Bahamas, onde deve atuar no próximo semestre.

Crédito da imagem: Divulgação.

Leave a Reply

Your email address will not be published.