Joia engarrafada

la perla 2

A arte de produzir vinhos com amor pode transformar uma garrafa numa verdadeira preciosidade.

Frases famosas como ”O vinho é uma prova constante de que Deus nos ama e deseja ver-nos felizes”, de Benjamim Franklin ou “Existe mais filosofia numa garrafa de vinho do que em todos os livros”, de Pasteur,  faz a gente refletir um pouco mais sobre a história desta bebida lendária, a qual nos toca com seus perfumes, cores, texturas e sabores.

Mas de onde vem esta arte? A história do vinho parece confundir com a nossa própria existência. Os egípcios não foram os primeiros povos a cultivar uvas, mas foram os pioneiros em retratar a história do homem e sua produção através de pinturas históricas. As imagens feitas há cerca de mil anos, já ilustrava homens trabalhando na produção do vinho com a mesma habilidade de um enólogo atual, claro, que com técnicas menos avançadas, mas com a mesma capacidade e talento.

E, com este olhar é que podemos observar ainda hoje o trabalho do homem em seus vinhedos. Assim, encontramos pequenos, médios e grandes produtores, os quais crescem constantemente, num cenário feito para aqueles que produzem vinho com amor.

Na região da Lombardia, no norte da Itália, próxima a Milão, embora pouco conhecida por aqui, mas amplamente reconhecida no cenário vinícola, é possível reconhecer esses produtores espetaculares, os quais trabalham com tanto amor, que o vinho produzido naquele lugar vem afirmar as frases citadas no início deste texto. La Perla di Marco Triacca, é um desses grandes exemplos, a vinícola fica em Tresenda di Teglio, na divisa com a Suíça, a produção ainda é muito jovem, assim como o enólogo, que tem apenas 35 anos, mas que já vem produzindo os vinhos com a sua marca há sete.

Os vinhos, apesar de ser ainda muito jovens já possuem maturidade e personalidade bem definidas, além de um potencial enorme. A tradição familiar esta presente, seu pai é pioneiro da viticultura da Valtellina, área demarcada como DOCG – Valtelina Superiore e seus quatro substritos: Grumello, Inferno, Maroggia Sassela e Valgella. E o nome “La Perla”, é uma homenagem carinhosa a sua mãe, que traduzida para o português significa “A pérola”.

Os vinhos

A produção que começou com 1,5 hectares dobrou e, atualmente a produção fica na casa dos 3,3 hectares de vinhas. A Nebbiolo é a casta de maior presença em seus vinhos, esforços unidos com aperfeiçoamentos da tecnologia são constantemente realizados.

Marco produz  quatro vinhos: Risierva Elisa feito com a casta Nebbiolo, de cor vermelho granada, é um vinho poderoso, numa explosão de frutas,  além de ser extremamente perfumado com notas de cassis e frutas vermelhas. Em boca, é extremamente agradável, envolvente, taninos macios e final persistente. La Mossa  é outro vinho que encanta com seus aromas frutados, tem equilíbrio e presença de frutas em boca e um final não muito longo, mas bastante agradável. Quatro Solli tem grande textura, é vibrante, ainda jovem, mas muito envolvente em seus aromas frutados.

Uma observação importante é que os três vinhos contam com a casta 100% Nebbiolo, uva ícone da região. Para finalizar, a produção tem também com o espumante Extra Brut La Perla elaborado com a casta Pignola Valtellinese, um sparkling cheio de frescor, notas de frutas brancas em seus aromas, perlages finas e uma sensação de néctar em boca.

Os vinhos ainda não estão no Brasil. Mas esperamos vê-los aqui em breve!

Mais informações sobre o vinhedo: http://www.vini-laperla.ch/en/

Marco Triacca

Marco Triacca

Leave a Reply

Your email address will not be published.