Festas, marketing e o mercado de luxo

02

Luxo é morar onde as pessoas passam as férias, assim traz meu entrevistado da vez. Reconhecido pela lista VIP que recheia suas festas em Balneário Camboriú, litoral de Santa Catarina, Alex Ferrer ainda fala do potencial da região e o que pensa sobre as festas como mecanismo de marketing no mercado de luxo.

Um total de 77% das ações de marketing entre as marcas de luxo contemplam eventos para que possam se relacionar com seu público e realizar novas vendas, é o que a consultoria MCF traz em uma de suas análises neste mercado tão segmentado.

E o empresário Alex Ferrer, do litoral catarinense em Balneário Camboriú, sabe muito bem como realizar esses eventos. Dono de uma lista de convidados disputadíssima pelas melhores marcas e ações da região, o empresário, que já intermediou uma campanha entre uma construtora da região e a atriz internacional Sharon Stone, se diz até surpreso quando é procurado.

“Às vezes eu me pego surpreso de as pessoas me contratarem mesmo eu não sendo daqui, mas porque eu conheço praticamente todo mundo que aqui está. E festa virou um mecanismo de marketing, então, você expõe o produto, expõe pessoas e expõe marcas, e isso é interessante para todos”, define Alex em matéria veiculada na Revista digital Ponto Pessoal número 7, recém-lançada em www.pontopessoal.com.br.

Com sua história já contada também por Jô Soares, Revista Época e Amauri Jr., Alex Ferrer responde as perguntas com muita espontaneidade e energia, características que o acompanham desde sempre em seus eventos e trabalhos.

Adriano Tadeu Barbosa: O desafio é tirar as pessoas de casa?

Alex Ferrer: É, porque, por exemplo: a bebida que você servir na festa, seja qual for ela, as pessoas têm muito melhor em casa, então porque elas vão sair de casa pra ir às festas? E outra coisa, ainda tem o quesito que você pagar para ir a festas. Imagine uma mulher, ela se maquia, ela arruma o cabelo, arruma uma babá para o filho, gasta gasolina, estacionamento, ou seja, antes as pessoas tinham um lucro para ir à festa, festas maravilhosas, hoje elas estão pagando para ir, então o desafio é esse: como é que eu vou tirar as pessoas de casa e surpreender. E surpreender não é você colocar uma bebida cara, ou a comida maravilhosa, ou um buffet caro. É você surpreender com o que oferecer na festa, hoje em dia as pessoas procuram muito conteúdo. Tanto que, quando você faz festa por festa, não tem tanto apelo quando você faz uma palestra ou ensina alguma coisa. E também tem um lado que é quando você faz uma coisa com mérito beneficente.

Adriano Tadeu Barbosa: Como seria o evento ideal para você em convidados?

Alex Ferrer: Eu sempre digo que festas e eventos são um elenco de filme, um elenco de novela. Então eu sou o autor e acho muito chato quando eu vou à festa só de categorias. Imagine festas só de advogados, você fica deslocado e é chato, quando vai à festa de médico, também. Eu acho que a festa é um elenco. Então você tem que ver: quem é o papel principal? É o anfitrião da festa. Quem são os coadjuvantes?  São as pessoas que vão fazer a diferença na festa, como um político famoso, uma socialite, por exemplo. Então você tem que misturar todos os personagens ali pra você ter a harmonia e o equilíbrio, pra você ter aquele filme interessante. Em festas, você vê de tudo, acontece tudo: as pessoas se separam, as pessoas casam, arrumam namorado, fazem muito business. Eu vejo nas festas que eu já fiz, eu vejo muitas coisas positivas acontecendo, mais positivas do que negativas, encontros e desencontros.

Adriano Tadeu Barbosa: Qual sua opinião sobre a região de Balneário Camboriú?

Alex Ferrer: Aqui é um fenômeno mundial. Vamos lá. Começando pela localização: o Sul em si está totalmente isolado do resto do país. Isolado economicamente, isolado socialmente, e Balneário é uma ilha de prosperidade, é uma Dubai. Onde você olha tem uma construção. Como que uma cidade de 7 km de praia, somente 7 km, tem mais de 200 construtoras? Isso não existe em nenhum lugar do mundo, 130 mil habitantes para 200 construtoras. É uma cidade que se você morar no extremo sul, na barra sul e trabalhar na barra norte, ou seja, você vai gastar 10 minutos de carro, se você tiver que ir à metade do caminho, você vai gastar 5 minutos. Então é uma cidade, que, por exemplo, eu já enumerei várias coisas que no Estado não entrou, nem em Joinville, que é a cidade que tem o PIB número 1, não começou em Itajaí que é o PIB número 2, não começou em Florianópolis, que é a capital, mas começou por Balneário Camboriú, então Balneário Camboriú tem os carros que não tem em nenhum outro lugar, tem as empresas que não tem em outro lugar. Mas aqui tem.

Adriano Tadeu Barbosa: É uma região formadora de opinião?

Alex Ferrer: Sim, e é uma região que você tem que analisar pelo lado psicológico também, qual o perfil da pessoa que mora em B. Camboriú? É a pessoa que começou a vida nova. Porque ela começou a vida nova? Ela era adolescente no interior e veio fazer a faculdade aqui, então ela descobriu o mundo, a balada, a juventude aqui. O cara que divorciou e veio morar aqui, até o cara que arrumou amante aqui, o cara que se aposentou e veio pra cá, então é a cidade de recomeços. A pessoa vem pra recomeçar e tentar uma vida nova. Ninguém vem pra outro motivo, entendeu? Quando você vai conversar com as pessoas de fora, todo mundo tem uma história, que olha, eu vim parar em Balneário… E é uma cidade dos fortes também, é uma cidade difícil de ganhar dinheiro, com muitas oportunidades.

Adriano Tadeu Barbosa: Todo mundo acha que tem muito dinheiro passando pela cidade, e, na verdade tem mais oportunidades do que dinheiro?

Alex Ferrer: Exatamente, todo mundo vem e poucos ficam. E o engano que tem sobre Balneário é que é uma cidade que têm milionários. Não! É o que eu sempre digo, você olha a Atlântica oito horas da noite em uma segunda-feira, tem três luzes acesas em um prédio de luxo, enquanto um prédio de classe média está tudo aceso. Ou seja, quem vive aqui durante a semana está trabalhando, está servido as pessoas que tem dinheiro que vem no final de semana ou no feriado.

Adriano Tadeu Barbosa: Para você o que é luxo nos dias atuais?

Alex Ferrer: Então, assim parece demagogia, porque falamos muito de luxo, de empreendimentos e tal. Que luxo é o que todo mundo almeja ter, todo mundo quer ter, o apartamento de frente para o mar, o querer isso, querer aquilo. Mas eu acho que ter luxo é poder chegar à beira da praia e sentar no banco e ver aquele mar, ver aquela brisa e ver uma cidade que você pode andar de madrugada tranquilamente, esse é o maior luxo. Isso traz as pessoas para cá, não pelo luxo material, mas pra desfrutar esse luxo que muita gente quer ter. Imagine as pessoas que estão agora trabalhando no Rio e São Paulo, se elas pararem de trabalhar agora elas não conseguirão ver o mar com tranquilidade.

Adriano Tadeu Barbosa: Alguma curiosidade que tenha marcado a sua carreira como assessoria de imprensa ou em eventos?

Alex Ferrer: Então, eu trabalho com isso desde os 18/19 anos, eu vim de Brasília e o que mais marcou quando eu cheguei em B.C. foi a história da Sharon Stone e suas campanhas aqui na região, reconhecidas nacionalmente. Isso mudou muito minha carreira, eu nunca imaginava porque eu vim para uma cidade pequena, eu imagina coisas pequenas para uma cidade pequena. Mas, foi uma coisa grande como essa que me solidificou. Para que possamos ver o tamanho e potencial dessa região.  Só que isso é uma batalha, todo dia, de agora em diante, eu tenho que inovar, porque o que eu faço hoje e falo hoje, amanhã já é ultrapassado, assim como no mercado de luxo. Por isso as festas, pessoas e empresas são mecanismos de marketing, que eu procuro e tenho usado muito bem.

Crédito da imagem: arquivo pessoal Alex Ferrer.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.